Em um cenário em que muitas empresas passam por dificuldades frente ao mercado, trabalhar com uma gestão empresarial eficiente é fundamental não só para firmar o seu negócio como também para aprimorar os processos e, consequentemente, obter melhores resultados.

Para isso, entretanto, é necessário entender o que, de fato, é uma gestão empresarial eficiente, além de aprender como trabalhar — de forma otimizada — com as diferentes peças que compõem o seu negócio. Continue lendo e aprenda mais!

O que é uma gestão empresarial eficiente?

Uma gestão empresarial eficiente é aquela capaz de identificar e acompanhar as principais forças que exercem influência no seu negócio. Ela é praticada quando os empresários ou gestores acompanham efetivamente a situação dos concorrentes, dos clientes, do público interno e, não menos importante, dos produtos ou serviços ofertados.

Quando esses pontos são mapeados e controlados, o empresário consegue ter uma tomada de decisão mais embasada e assertiva, o que possibilita uma melhor perspectiva do negócio. Decidir, por exemplo, entre manter ou não um produto no mercado pode ser fundamental para o futuro de uma empresa. Quando isso é feito com mais propriedade, as chances de sucesso são muito maiores.

Seus principais benefícios

Partindo do princípio de que para ser rentável, qualquer negócio necessita ser eficiente, uma gestão empresarial eficiente é um conceito que pode ser considerado adequado para qualquer negócio. Algumas das principais ações que ela possibilita são:

  • melhorar a coordenação das equipes de trabalho;
  • otimizar a definição dos objetivos;
  • empregar as pessoas adequadas nos locais apropriados;
  • adotar melhores procedimentos internos e externos;
  • escolher equipamentos mais eficazes;
  • encontrar pontos passíveis de inovação.

Problemas econômicos x financeiros

Um dos problemas mais recorrentes na gestão empresarial diz respeito ao fato de que os empresários, normalmente, não se preocupam tanto quanto deveriam com os problemas econômicos que seus negócios apresentam.

Ou seja, enquanto suas empresas apresentam queda de rendimento, lucratividade ou prejuízos diversos, é comum a adoção de medidas paliativas para que o negócio se mantenha de pé. Porém, isso não dura para sempre.

Quando uma gestão empresarial eficiente não é realizada, é só questão de tempo para que os curativos passem a se tornar insuficientes e o problema torne-se financeiro, faltando dinheiro para a manutenção do negócio. É nesse ponto, já tardio, que costuma ocorrer o pedido de ajuda ou a busca por uma melhor estruturação dos processos.

A primeira dica, dessa forma, é que o empresário não espere que o problema torne-se financeiro para, finalmente, buscar auxílio. Se a sua empresa apresenta sinais constantes de instabilidade econômica, ela já conta com anormalidades que só tendem a se agravar com o passar do tempo. Portanto, assim que os identificar, aja!

5 etapas para uma gestão eficiente

Quando algumas empresas buscam a consolidação ou a reestruturação de seus negócios — seja pela dificuldade financeira, operacional, mercadológica, entre outros fatores —, fazer uma sistematização das etapas de uma gestão eficiente é essencial para alcançar o sucesso.

Dessa forma, para melhor ajudá-lo no comando de sua empresa, elencamos alguns importantes estágios para que uma gestão empresarial eficiente, de fato, aconteça. Confira abaixo!

1. Pré-análise

O primeiro passo diz respeito à pré-análise. Nessa fase, é fundamental conhecer o seu negócio a fundo, entender como ele funciona e estudar em qual mercado ele está inserido. Ou seja, nesse início, toda informação é válida para você ter um melhor embasamento sobre os seus próximos passos.

Dessa forma, investigar as possibilidades e alternativas disponíveis no mercado, estudar os diferenciais da região na qual seu negócio está atuando e fazer um estudo inicial dos preços dos concorrentes — estando por dentro de quais são os produtos equivalentes ou substitutos — é fundamental para que você atinja melhores resultados.

Vale ressaltar que a análise preliminar é uma etapa com a qual muitos empresários não gostam de se defrontar. É ela que confere o primeiro confrontamento com a realidade e começa a dar indícios do que você deve fazer para contar com uma melhor tomada de decisão.

2. Planejamento

Agora que você já passou pela pré-análise, é hora de fazer o planejamento. É nessa etapa que você estrutura corretamente sua estratégia de marketing, sua cadeia produtiva, seus produtos, seus processos e, principalmente, estabelece seus objetivos de forma detalhada.

Como o estágio anterior possibilitou que você entendesse sobre os fatores que exercem influência no seu negócio, seu planejamento passa a ser muito mais realista e preciso, o que o ajuda a ter uma melhor autocrítica.

No Brasil, aliás, esse é um grande problema. Com a crença de que é na prática que as coisas de fato acontecem, alguns empresários tendem a não dar o devido valor à pré-análise e ao planejamento, o que faz com que, além de estarem sujeitos a uma maior quantidade de intempéries, eles entendam menos sobre seus próprios negócios.

3. Execução

Passado o planejamento, é chegada a hora de, finalmente, executar tudo o que foi determinado anteriormente.

Como o próprio nome já diz, nessa etapa você passa a colocar em prática as ações definidas visando atingir seus objetivos. Para tanto, é fundamental empregar o que foi apontado na pré-análise, já que os estudos iniciais são o norte da maneira como você deve agir, mas ao mesmo tempo observar o presente.

Você e seus colaboradores devem ter autonomia para, com base nas ações do cotidiano, interpretar o que vem dando certo ou não e trocar conhecimento em relação a essas percepções. A troca contínua de feedbacks é imprescindível para o aprimoramento da execução dos seus serviços.

4. Checagem

A checagem — ou controle — é o momento em que se passa a analisar se os objetivos estão sendo atingidos ou não. Ou seja, por meio de um acompanhamento contínuo, é possível ter um panorama mais completo sobre como está o andamento das atividades e se o que foi planejado tem sido cumprido.

Caso seja constatado, por exemplo, que o objetivo de uma empresa de faturar X milhões de reais em um determinado período não está sendo atingido, é fundamental tentar identificar quais são os motivos que têm impossibilitado que essa meta seja alcançada.

O mercado não está respondendo? O preço está muito alto? O produto não está com a devida qualidade? Checar pontos como esses e revisitar o motivo da falha é fundamental para a realização de uma gestão empresarial eficiente.

5. Ação

Por último, o estágio da ação é aquele em que os empresários, a partir de tudo que foi diagnosticado nas etapas anteriores, passam a agir para corrigir os erros e melhorar dali em diante.

É importante ressaltar, além disso, que essa fase não deve estar presente somente quando erros são diagnosticados. Caso sua empresa tenha superado as expectativas, por exemplo, é importante lançar os olhos sobre o planejamento para ver se suas metas estão sendo determinadas de forma adequada.

É o aprendizado com as lições e a importância que você confere aos fenômenos que se relacionam com sua empresa que acabam determinando seu sucesso.

Conseguiu entender melhor sobre a gestão empresarial eficiente? Entre em contato conosco e veja como podemos ajudá-lo a otimizar seus processos e melhorar o desempenho do seu negócio!

Escreva um comentário

Share This